A realidade nacional | Quase ao fim da Década de Ações para a Segurança no Trânsito (2010-2020)

Entrevista TV Brasil no programa Diálogo Brasil, publicado no youtube em 23 de maio de 2017. Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=AtAHsgdW7Xk

Estamos quase no fim da década de ações para segurança no trânsito, estipulada pela Organização Mundial de Saúde. Em entrevista com a TV Brasil no ano passado o coordenador-geral de educação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Francisco Garonce, e o professor aposentado da Universidade de Brasília (UnB), Dickran Berberian, discutem sobre educação no trânsito, é do consenso comum a negligencia dos condutores no nosso país e a impunidade amplamente incorporada a nossa cultura.

A Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial de Saúde (OPAS/OMS) em seu documento oficial, o Plano Global para a Década de Ações para a Segurança no Trânsito (2010-2020) pontua que 1,3 milhões de pessoas morriam no mundo todos os anos vítimas de acidentes de trânsito (mais de 3.000 mortes por dia). Estima-se ainda que mais 2,4 milhões de vidas sejam perdidas devido a lesões causadas pelos acidentes que não sejam tratadas de forma adequada ou em tempo, isso demonstra que não temos serviços de saúde suficientemente prontos para atender a grande demanda de traumas e sua necessidade de urgência.

Este misto de dificuldade de atender vítimas de acidentes de trânsito e falta de educação no trânsito é muito presente no nosso país, o CCSEM ainda ressalta que a falta de informação e de educação no trânsito, assim como a impunidade e a falta de capacidade dos serviços de saúde que compõem nosso cenário nacional corroboram para que cada vez mais tragédias aconteçam, em um artigo anterior o CCSEM discutiu a quantidade de veículos em nosso país (clique aqui e leia nosso artigo), além de não termos suficientes esforços no sentido de educar e informar.

Segundo o entrevistado Francisco Garonce, coordenador-geral de educação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), na cidade de Araripina (Pernambuco) onde, segundo ele, 70% dos leitos de hospital em CTI eram ocupados por vítimas de acidente de trânsito, mesmo que não represente o cenário nacional este dado é alarmante. A educação e conscientização podem mudar o cenário nacional.

Neste cenário o CCSEM promove acesso ao seguro DPVAT favorecendo vítimas de acidente de trânsito a conseguir condições de acessar seus direitos e minorar os efeitos negativos da ausência de políticas públicas eficientes em nosso país. O CCSEM possui como objetivo a democratização do seguro DPVAT atendendo vítimas e promovendo cursos de capacitação para que cada vez mais seja uma realidade o acesso ao seguro.

Veja a entrevista completa em:

Leia mais noticiais clicando aqui.

Fale com um especialista do CCSEM através do fale conosco ou do formulário na nossa página inicial.

Comments are closed.